quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

Francisco Brennand: Mestre dos Sonhos

Minha prima alemã Anne, Francisco Brennand e eu
(Oficina Brennand - 09/10/2007)
No dia 11 de junho de 2007, Brennand completou 80 anos. Ele nasceu no Recife e na adolescência descobriu a vocação para as artes e seguiu para a Europa. Quando voltou a Pernambuco, construiu um ateliê de 15 mil metros quadrados decorado com cerâmica, concreto e painéis – um acervo que atrai admiradores do Brasil e de outros países. “São culturas que eu abordei, porque quero dizer que o mundo é um só e os conflitos são permanentes entre raças, povos e culturas", ele diz.
Na oficina dele, no Recife, o escultor dá vida a animais e cria formas humanas que quebram padrões. Ele também busca inspiração na religiosidade; na Capela de Nossa Senhora da Conceição, é possível ver a imagem da santa feita por Brennand, esculpida em pedra.O mais novo painel do artista revela a preocupação com o meio-ambiente: é um globo terrestre que se projeta diante de uma figura humana – na linguagem do artista, um sinal de alerta. “É porque nós estamos descuidando e adiando esse processo de recuperação, que na realidade era pra se fazer ontem!".A natureza convive em harmonia com seu trabalho: as águas banham o parque das esculturas, no Marco Zero do Recife; quando o sol nasce, ilumina primeiro o obelisco, de 32 metros de altura, chamado de “coluna de cristal”.
Nem só de esculturas é formado o acervo de Francisco Brennand; o desenho e a pintura também acompanham o artista desde o início de sua carreira.
Logo em 1947, Brennand ganhou o 1º prêmio do salão de Arte do Museu de Pernambuco com a "Segunda Visão da Terra Santa". Pelo conjunto e singularidade de suas obras, ganhou o prêmio Gabriela Mistral, concedido pela Organização dos Estados Americanos (OEA).
O artista inquieto também é um construtor de sonhos. Aos 80 anos, ele brinca com a idade e com o tempo: “Eu me sinto tão velho quanto o mundo", diz.

Francisco Brennand é um artista único. Ele construiu um mundo próprio nas ruínas de uma cerâmica semi-abandonada, de propriedade de sua família. A Cerâmica São João, que produzia telhas e tijolos, tinha sido desativada em 1945 e, numa visita sua a este espaço, que possui muitas árvores e enormes galpões, Brennand visualizou a possibilidade de instalar seu atelier ali.

A Oficina Cerâmica Francisco Brennand (http://www.brennand.com.br/) é ao mesmo tempo oficina e museu. Cerca de 2.000 peças estão em exposição permanente nos enormes jardins do lugar. Ali, encontramos esculturas, murais, painéis, objetos decorativos, ladrilhos... É lindo demais!!! Parece que estamos em outro tempo/espaço.

Comentam que a obra de Brennand é bastante erótica, mas Olivio Tavares a define assim: “A rigor, é incorreto dizer que a obra de Brennand seja erótica: erótico é o que induz à excitação e ao prazer. Aqui há uma sexualidade sem pudores, que tem ao mesmo tempo algo de primitivo, de cruel e de inevitável”.
Enfim, este espaço de arte toca o coração! E o melhor de tudo é que o artista está sempre por lá, andando no meio de suas obras, com sua barba branca, sua bengala e seus óculos charmosos. Ele, Francisco Brennand, é uma pessoa especial e seu talento é de louvar!

Quem puder visitar a oficina de Brennand não se arrependerá, porque é realmente emocionante. E tem muito pernambucano/brasileiro que nem sabe que este lugar existe, pois infelizmente a visitação é mais de estrangeiros que de brasileiros.

2 comentários:

Laura disse...

Eu e o meu marido somos super fas de Brennand.

Andréa Brelaz disse...

Também sou fã do trabalhos dos Brennand, tanto do Francisco como do Ricardo! ;-)

É um ganho cultural incomparável e muito importante para o nosso Recife e para o Brasil! :-D